Return to site

150 anos não cabem em um único dia.

Joyce Luz

08 de março de 2019 | 19h17                                                                                                                                                                     

*Texto escrito por todas as mulheres que fazem parte do blog Legis-Ativo.

Hoje, 8 de março, é Dia das Mulheres. De todas as Mulheres.

Dia de uma reflexão que deve ser contínua, todos os dias, para homens e mulheres. Na política, assim como nos demais espaços, as mulheres ainda enfrentam uma luta diária. A abertura com a qual nos deparamos é resultado da voz e coragem de diversas mulheres, que se ergueram em prol da representatividade política, igualdade, liberdade, sororidade e direitos, mas ainda temos muito o que conquistar.

Nesta data, fazemos o convite para reconhecer alguns dos nomes femininos que construíram essa história no âmbito político.

Alzira Soriano de Souza foi a primeira mulher Prefeita na América Latina, eleita em 1928 no município de Lajes-RN.

Anita Garibaldi, mulher, brasileira, catarinense, que participou de importantes lutas e revoluções no Brasil para a conquista da independência. Em abril de 2012 foi sancionada a Lei 12.615 que determinou que seu nome fosse inscrito no Livro dos Heróis da Pátria.

Antonieta de Barros nasceu em Florianópolis, Santa Catarina, em 11 de julho de 1901. Em 1934 ela foi a primeira deputada estadual negra a ser eleita no Brasil e primeira deputada mulher do estado de Santa Catarina.

Bertha Lutz foi uma das principais líderes na luta pelos direitos políticos das mulheres brasileiras. Em 1922, representou as brasileiras na Assembleia Geral da Liga das Mulheres-Eleitoras, em Nova York, e seu empenho foi decisivo para aprovação do direito às mulheres de votarem no Código Eleitoral de 1932. No ano de 1936 assumiu o cargo de deputada na Câmara Federal e propôs a licença maternidade de três meses e redução da jornada de trabalho, então de 13 horas diárias.

Carlota Pereira de Queirós foi a primeira mulher eleita Deputada Federal, em 1933.

Celina Guimarães Viana, professora brasileira, primeira eleitora do Brasil, ao votar em 5 de abril de 1928 na cidade de Mossoró, no interior do Rio Grande do Norte.

Dandara fazia parte do grupo que lutava por liberdade e desafiava o sistema escravista no Quilombo dos Palmares.

Elisa Kauffmann foi a primeira mulher a ser eleita vereadora na cidade de São Paulo, em 1947. Elisa foi eleita mas não assumiu. A Justiça Eleitoral cassou o registro de todos os candidatos comunistas que concorreram naquela eleição, todos pelo PST. Apenas em 2013 a Câmara Municipal de São Paulo reconheceu, ainda que simbolicamente, Elisa como vereadora.

Leolinda Daltro foi professora, sufragista e indigenista brasileira. Escreveu seu nome na história ao lutar pela autonomia das mulheres. Em 1910, criou o primeiro partido político feminista do Brasil, o Partido Republicano Feminino, pressionando o governo a incorporar o voto feminino, em uma época em que as mulheres não eram consideradas cidadãs.

Lívia Maria Pio foi a primeira candidata mulher a concorrer ao cargo da Presidência da República no Brasil.

Maria da Penha é farmacêutica e bioquímica. Ela ficou conhecida no Brasil por ter sido vítima de violência machista. Em virtude deste fato ela ficou paraplégica. Sua luta para que o seu agressor fosse punido desembocou na Lei Maria da Penha.

Maria Quitéria foi a primeira mulher a lutar numa guerra no Brasil. Era natural de Feira de Santana, na Bahia, e vestiu-se de homem para pode alistar-se e lutar contra o domínio português na Guerra da Independência (1822-1824).

Marielle Franco: Vereadora eleita em 2016 pela cidade do Rio de Janeiro. Mulher, negra, mãe, feminista, socióloga, “cria da favela”. Foi a primeira mulher vereadora a ser assassinada só no ano de 2018.

Nísia Floresta Brasileira Augusta foi a pioneira na luta pelo direito à mulher de ter acesso a educação.

Shirley Chisholm foi a primeira mulher negra eleita pelo Congresso dos EUA.

Tarsila do Amaral foi pintora, desenhista e tradutora brasileira, uma das principais figuras da pintura e da primeira fase do movimento modernista no Brasil.

Além dessas, temos inúmeras mulheres que deixaram o seu legado para sempre. Mais que isso, mostraram que a política precisa das mulheres.

Não importa em que área, não importa em quais profissões, não importa em quais cargos, não importa em quais funções, não importa qual a idade, não importa qual o status social, não importa qual a cor, não importa qual a religião: todas as mulheres fazem parte dessa história.

Ana Paula Massonetto, Andressa Pellanda, Carolina Corrêa, Carolina de Paula, Graziella Guiotti Testa, Haline Floriano, Hannah Maruci Aflalo, Joyce Luz, Lara Mesquita, Marcela Tanaka, Marina Merlo, Marta Mendes da Rocha, Michelle Fernandez, Mônica Sodré, Tainá Shimoda: Cientistas Políticas, Jornalistas e Mulheres brasileiras que desde 2017 compõem e constroem o Blog Legis-Ativo. São mulheres cientistas que, para além de escreverem textos brilhantes sobre política nesse blog, seguem e enfrentam a luta diária para mostrarem e ensinarem para outras mulheres que: Lugar de Mulher também é na Política!

Lugar de Mulher é onde ela quiser!

#mulheresnapolítica

#mulheresnopoder

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OK